Khaled Harara

Rapper palestino, hospedado em Gotemburgo (Suecia) – 2013-2015

16/06/2016

IMG_4218Foto por Joaquim Roos

Download the ITV Original ITVKhaledHARAROriginal

CABRA: Por que você teve que deixar seu país?
Deixei meu país porque situação lá esta muito ruim, não deixei por razões pessoais. A ocupação israelense está nos matando diariamente e roubando nossas terras, construindo mais e mais assentamentos, construindo paredes e colocando mais e mais postos de controle. Esse foi o maior motivo para eu deixar a minha casa.
Isso sem falar de todos os efeitos colaterais da ocupação, como o negócio sujo dos políticos palestinos, que estão roubando o dinheiro das pessoas e o dinheiro dos impostos europeus, que é enviado para apoiar as pessoas na Palestina. Não é mais possivel morar em Gaza com a guerra, de um lado, e, de outro, um governo louco e sujo que pode controlar a vida das pessoas em nome de Deus.

CABRA: O que você fez na cidade-refúgio da ICORN que o acolheu ?
Estou tentando construir um futuro melhor, estudar o máximo que posso, trabalhar o quanto posso e também ajudar o máximo que posso.

CABRA: Qual é a importância da ICORN para você ?
A resposta mais simples para essa pergunta é que as pessoas da ICORN salvaram a minha vida, me deram um novo lugar para viver, para trabalhar, para estudar e para fazer a minha música de uma maneira que eu gosto. ICORN me deu uma oportunidade que nem em sonho podia imaginar, uma oportunidade que, se eu nao soubesse utilizá-la de forma certa, teria sido uma grande perda para mim.

CABRA: Quais são seus planos agora, ja que seu tempo de residência da ICORN acabou?
ICORN é uma chance, é uma chave de ouro, mas não é tudo. Essa chance é uma grande chance se você souber usá-la da maneira certa. Durante meu tempo como músico convidado pela ICORN, eu fiz um monte de contatos e conheci muitas pessoas novas e interessantes. Aprendi muito com elas. Aprendi com pessoas como Fredrik Elg e Ján Lothe Eriksen. Aprendi muito também com as proprias pessoas da ICORN, como Helge Lunde, Elisabeth Dyvik e Marianne Hovdan. Com toda essa experiência e grandes pessoas em torno de mim, eu consegui encontrar meu próprio caminho depois que terminei a residência. Estou dando oficinas de rap, palestras, concertos, e tenho a sorte de estudar música, finalmente, em Gotemburgo, na Universidade da Música. Estou trabalhando com o Riksteatern na Suécia num importante projeto cultural composto de duas partes: uma parte desenvolvida em Suécia e a outra parte na cidade de Gaza. Estou tentando fazer o meu melhor e espero que vou conseguir. Nós, artistas, somos convidados pela ICORN e temos uma grande responsabilidade. Somos as pontes de ligação entre as pessoas, temos muita experiência na área cultural e devemos usá-la para ajudar nossas novas comunidades em que passamos a viver, assim como os recém-chegados e os refugiados, fazendo com que a voz de nosso próprio povo alcance as pessoas aqui e em nossos países de origem.

IMG_4221Foto por Sylvie Debs – Assembléia da ICORN em Paris, 2016.

 

Biografia
Khaled Harara nasceu 1987, no Iêmen. É um artista de hip-hop palestino de renome, que viveu como refugiado em Gaza. Seus textos discutem a situação política na Palestina, a partir de uma perspectiva humanitária e sócial e criticam a falta de liberdade de expressão e o sofrimento na Palestina, sob o governo do Hamas.

Em Gaza, Khaled Harara foi o primeiro a organizar oficinas de hip hop para a juventude, com foco na elaboração de textos e em diferentes formas de expressão. As oficinas foram proibidas, bem como seu grupo “Unidade Palestina” e a organização artística da qual ele era um dos membros.

Como resultado de sua expressão artística, e sua participação como um soldado das forças da OLP, antes de que o Hamas tomasse o controle de Gaza, Harara foi considerado um “inimigo do Estado”. Por mais de uma vez ele foi para a prisão, torturado e sujeito a interrogatórios ásperos, e vários de seus amigos foram mortos ou feridos em lutas contra o Hamas. Com medo de represálias contínuas, Khaled Harara ficou na Dinamarca, depois de participar do festival “Rapolitics”.

Khaled Harara foi convidado para a cidade-refúgio de Gotemburgo, e foi o primeiro músico que a ICORN aceitou, de 2013 a 2015. Durante a sua estada em Gotemburgo, Khaled Harara participou em vários eventos públicos, debates e workshops. Lançou dois novos singles com a banda de jazz rock Makten & Härligheten, em maio de 2015.

Veja também: Vídeo-entrevista com Khaled Harara em Freemuse.org

Anúncios