Guia para cidades que queiram se associar à ICORN

Mais de 50 cidades no mundo todo oferecem um espaço seguro onde escritores e artistas em situação de risco podem viver e trabalhar durante todo o programa da ICORN.

A International Cities of Refuge Network (ICORN) é uma organização de associação de cidades e regiões no mundo todo que oferece um lugar seguro para escritores e artistas perseguidos ficaram e trabalharem por um período combinado.

As cidades e regiões são as pedras angulares da ICORN e compartilham uma missão em comum: preservar a liberdade de expressão e reagir a ameaças e perseguições motivadas politicamente que escritores e artistas enfrentam em seus países natais e no resto do mundo.

O PEN International’s Writers in Prison Committee anualmente monitora de 800 a 900 casos de escritores e artistas perseguidos em consequência direta de seu trabalho. Muitos ainda precisam de um lugar seguro para ficar. Por meio da ICORN, a sua cidade pode possibilitar que esses escritores e artistas continuem seu trabalho e permanecer na luta pela liberdade de expressão, tão vital para a saúde de uma sociedade livre.

Esse comprometimento por parte das cidades e regiões da ICORN é ao mesmo tempo muito concreto e profundamente simbólico: um agente de mudança (um escritor ou artista) escapa de ameaças e perseguição iminentes, sua cidade oferece um abrigo e os valores da hospitalidade, solidariedade e liberdade de expressão se tornam mais cultuados dentro do ethos de sua cidade.

Uma rede mutuamente benéfica

Mais de 50 cidades se comprometeram com a Carta da ICORN. Juntas, elas já abrigaram mais de 130 escritores/artistas em situação de risco. Ao se unir a nós, sua cidade se torna parte de uma rede dinâmica e global de solidariedade, criatividade e mútua interação. A ICORN reúne cidades e escritores e artistas na rede e promove uma reunião anual de todos os participantes em uma das cidades membros. Um maravilhoso agrupamento de escritores/artistas, representantes da cidade, parceiros e organizações de direitos humanos do mundo todo se reúne para avaliar e analisar a situação em relação à liberdade de expressão e explorar formas novas e criativas de confrontar regimes e autoridades repressores onde direitos humanos básicos estão sendo atacados.

Os escritores e artistas da ICORN representam um rico manancial para toda a rede de cidades. Eles proporcionam novos impulsos para a vida cultural de cada cidade, contribuem para melhorar os conhecimentos sobre diferentes culturas em sua cidade e enriquecem nosso debate, percepção e compreensão dessas questões.

 Quem pode se tornar membro da ICORN?

Qualquer cidade que queira trabalhar em prol da liberdade de expressão para escritores e artistas e se comprometer com os termos contidos no contrato de adesão pode se unir à ICORN e se tornar uma cidade de refúgio.

Ao assinar o contrato de adesão com a ICORN, sua cidade concorda em:

  • Tomar providências para a relocação e recepção de um escritor/artista na cidade.
  • Facilitar a regularização da situação legal para o escritor/artista.
  • Fornecer uma residência adequada para o escritor/artista e sua família.
  • Fornecer ao escritor/artista uma bolsa/verba apropriada durante sua estada.
  • Ajudar o escritor/artista a se integrar na comunidade local, tanto em termos sociais quanto artísticos.
  • Nomear um coordenador da Cidade de Refúgio para apoiar o escritor/artista em questões legais e práticas.

Como uma cidade se torna membro da ICORN?

Assinando e se comprometendo com o Contrato de Adesão da ICORN. Antes de firmar o Contrato de Adesão, sua cidade precisa identificar parceiros formais, estabelecer um financiamento e apoio para o programa, encontrar uma instituição coordenadora e acomodações para o escritor/artista. O financiamento e a coordenação de uma cidade de refúgio dependem de cada cidade. O modelo de gestão de sua cidade dependerá das próprias leis e regulamentos da cidade, das parcerias, ofertas culturais e oportunidades de financiamento. A ICORN lhe ajudará a encontrar a melhor solução para sua cidade.

Alguns exemplos:

Na cidade de refúgio de Paris, a Prefeitura de Paris é a anfitriã oficial da ICORN, patrocinada pela Cité Internationale des Arts, Bibliothèques de Paris, Reporters Sans Frontières e Maison des Journalistes, entre outros.

Em Bruxelas, é a casa internacional de literatura, Passaporta, que coordena a operação diária do programa. Eles também têm um acordo com quatro universidades, que patrocinam em parte o escritor/artista recepcionado, com a condição de que o escritor/artista abrigado participe de palestras e oficinas nas universidades.

Tanto a cidade de refúgio de Barcelona quanto a de Girona são financiadas primordialmente pela cidade e coordenadas pelo PEN catalão.

Na Escandinávia, uma cidade de refúgio é normalmente operada pela biblioteca pública e às vezes por organizações de seguridade social ou de refúgio. A cidade de refúgio de Skien, na Noruega, é gerida numa parceria entre a Prefeitura de Skien e a biblioteca pública. As instituições/parceiros gestores em Levanger, na Noruega, são a biblioteca de Levanger, a secretaria de cultura de Levanger e a secretaria de refugiados de Levanger, enquanto que a Prefeitura de Växjö, na Suécia, é membro da ICORN e o programa é gerido pelos serviços de cultura e lazer/The House for Free Speech.

É possível acessar as páginas das cidades individuais para saber mais sobre como as cidades de refúgio são geridas.

Faça a diferença e assine!

Como o mundo está se tornando um lugar cada vez menos seguro para quem defende os direitos humanos, precisamos de mais cidades membros, para conseguir ajudar o máximo possível de pessoas a continuar a lutar pela liberdade de expressão, tão vital para a saúde de uma sociedade livre.

Fale com a Rede ICORN e a CABRA

Estimulamos qualquer cidade/pessoa/organização que queira envolver-se na ICORN a entrar em contato pelo fale com a ICORN ou a CABRA para encontrar soluções para se unir a nós na rede.

É possível encontrar mais informações no contrato de adesão sobre a natureza do compromisso e cooperação entre cada cidade e a ICORN.

Tradução Teresa Dias Carneiro

Anúncios