Inspiração e novas ideias para programas de diálogo intercultural

Kathrin Dittmer é diretora da Casa de Literatura de Hannover (Alemanha). Ela nos conta sobre a colaboração institucional com a ICORN.   CABRA: Por que você se envolveu com a ICORN ? Achamos útil e também uma boa ideia ter uma rede que coordena cidades e organizações que tentam ajudar escritores perseguidos. Houve – e ainda há – um programa do PEN alemão e internacional (“escritores no exílio”), mas foi mais fácil para nós juntar-nos à ICORN e também mais fácil convencer a cidade de Hannover a aderir a uma rede da qual cidades e organizações de todo o mundo podem se … Continuar lendo Inspiração e novas ideias para programas de diálogo intercultural

“ICORN salvou minha vida e abriu um novo futuro para poder continuar escrevendo.”

Nada Yousif é poeta e jornalista do Iraque e trabalha as questões de direitos das mulheres e da situação sociopolítica atual do seu país.  Foi hóspede da cidade-refúgio de Molde (Noruega) de 2007 a 2009.   CABRA: Porque você teve que deixar seu país ? Tive que deixar meu país em 2007, porque minha vida estava em perigo e eu era alvo para alguns grupos de fanáticos islâmicos. CABRA: Quais foram suas atividades na cidade da ICORN que a recebeu? Li meus poemas em muitas ocasiões e participei de muitas conferências, festivais de literatura, seminários e discussões culturais. CABRA: Qual a importância da … Continuar lendo “ICORN salvou minha vida e abriu um novo futuro para poder continuar escrevendo.”

“Se eu tivesse permanecido lá, a morte teria sido inevitável”

Najati Tayara é escritor e editor sírio, hospedado pela cidade refúgio de Paris (2013-2015). Antes da Revolução Síria, Najati Tayara trabalhou com várias organizações de Direitos Humanos, como editor e escritor. Como resultado de seu trabalho, experimentou constante assédio e sua revista Tayyarat foi fechada. CABRA: Por que você teve que deixar seu país? Fui obrigado a deixar meu país pela ameaça de ser assassinado por gangues leais ao regime sírio, depois de minha libertação da prisão, no início de 2012, sob a pressão do comitê de observadores árabes, no âmbito da Liga Árabe que tentava resolver a crise na Síria. Depois … Continuar lendo “Se eu tivesse permanecido lá, a morte teria sido inevitável”

Arash Chakeri

é um novelista, poeta, cantor e compositor iraniano, hospedado na cidade-refúgio de Bruxelas (Bélgica). Em seu apelo à liberdade e à democracia no Irã, enfrentou pressões crescentes. Em numerosas ocasiões, Chakeri foi atacado, preso e ameaçado.   CABRA: Por que você teve que deixar seu país? Deixei meu país por causa de meus problemas políticos com o governo. Sobre meu último livro, eles me disseram que minhas ideias ali eram contra as ideias islâmicas sobre a vida após a morte. Um outro problema foi uma das minhas canções, chamada “Made in China”. Disseram que as letras que escrevi e cantei eram … Continuar lendo Arash Chakeri

Ammar Tassaei: um defensor das minorias

O escritor e repórter iraniano, Ammar Tassaei pertence a uma minoria de língua árabe na província de Ahwaz, no sul do Irã. Escreveu sobre os direitos das minorias árabes no Irã. Desde 2001, foi perseguido por seu ativismo pelos direitos das minorias Ahwazi e foi preso em 2003. Residiu como escritor convidado na cidade-refúgio de Molde, de 2010 a 2012. CABRA: Por que você teve que deixar seu país? Deixei meu país porque era um escritor e jornalista ameaçado pelo regime. Tinha medo de que eles pudessem me prender e torturar por causa de meus escritos! CABRA: O que você fez … Continuar lendo Ammar Tassaei: um defensor das minorias

ousei falar sobre meu corpo

Liberdade de expressão, poesia & arte: leia a entrevista com Sedipeh Joderyi, poeta e tradutora iraniana que foi convidada da ICORN. CABRA: Por que você teve que deixar seu país ? Na sequência das muito disputadas eleições presidenciais de 2009 no Irã, que resultaram na reeleição do Presidente Mahmoud Ahmadinejad (2009-2013), falei publicamente em apoio ao movimento pró-democracia (conhecido como Movimento Verde Iraniano). Pouco depois, minhas obras foram proibidas no Irã, meus amigos mais próximos foram presos, forçando-me a deixar o país e a me mudar para a Itália, em fevereiro de 2011. Fiquei dois anos na Itália como escritora convidada … Continuar lendo ousei falar sobre meu corpo

um poeta político

Faraj Bayrakdar é jornalista e poeta sírio. Suas obras são interpretadas no teatro e transformadas em musicais e em documentários. Na Síria, foi preso e torturado por suspeita de pertencer ao Partido Comunista. Foi escritor convidado pela cidade-refúgio de Estocolmo, na Suécia, e conta à CABRA sobre a sua experiência com a ICORN: CABRA: Por que você teve que deixar seu país? Fui preso por 14 anos, de 1986 a 2000. Depois, fiquei na Síria até 2005. Durante esses 5 anos, tive muitos convites para ir à Europa. Em 2005, fui convidado para Estocolmo pela ICORN. Depois de dois meses, 300 escritores … Continuar lendo um poeta político

Poesia é um evento para a vida toda

Poeta revolucionário e ativista político do Iêmen, em 1983, poucos dias depois de se casar, Mansur Rajih foi preso e condenado à morte por acusações de assassinato que nunca foram provadas. Hoje, Rajih e sua família vivem em Stavanger, Noruega, e continua a lutar pela liberdade de expressão e pelos direitos humanos com sua obra: “Poesia é uma batalha pela liberdade, portanto é um evento para a vida toda.” https://cabrarede.wordpress.com/mansur-rajih/ (Foto: Signe C. Urdal, ICORN) Continuar lendo Poesia é um evento para a vida toda

escrevi sobre as violações do sistema

“… o que levou o regime a me prender. Fui ameaçado por grupos islâmicos radicais, porque nenhuma das partes quer que a verdade seja escrita. Foi por isso que fugimos da Síria.” Leia  mais sobre o escritor e jornalista sírio Mamon Ali Jabari , hospedado na cidade-refúgio de Levanger: https://cabrarede.wordpress.com/mamon-ali-jabari/ Foto: Shams Jabari Continuar lendo escrevi sobre as violações do sistema