Arash Chakeri

é um novelista, poeta, cantor e compositor iraniano, hospedado na cidade-refúgio de Bruxelas (Bélgica). Em seu apelo à liberdade e à democracia no Irã, enfrentou pressões crescentes. Em numerosas ocasiões, Chakeri foi atacado, preso e ameaçado.

 

ArashChakeri

CABRA: Por que você teve que deixar seu país?
Deixei meu país por causa de meus problemas políticos com o governo. Sobre meu último livro, eles me disseram que minhas ideias ali eram contra as ideias islâmicas sobre a vida após a morte. Um outro problema foi uma das minhas canções, chamada “Made in China”. Disseram que as letras que escrevi e cantei eram contra as falhas do governo e um monte de coisas dessa ordem.

CABRA: O que você está fazendo na cidade-refúgio da ICORN onde você está vivendo agora, Bruxelas?
Comecei a minha nova vida há 14 meses, em Bruxelas, como residente da ICORN. Comecei a terminar meu sexto livro. Escrevi uma nova canção com a liberdade de uma nova vida, a canção “Humanity”. Comecei a escrever artigos sobre as novas atividades no campo dos Direitos Humanos e muito mais.

CABRA: Qual a importância da ICORN para você?
A coisa importante da ICORN para mim é que é uma organização dedicada especialmente aos refugiados da mídia, como escritores, cantores, blogueiros, jornalistas etc.

CABRA: O que você vai fazer depois da residência da ICORN?
É uma pergunta difícil de responder! É muito difícil para uma pessoa como eu, que perdeu sua situação e sua posição em seu próprio país. Eu realmente tinha um nível de vida diferente no meu país e agora eu tenho que procurar emprego para ter uma vida normal, com uma linguagem insuficiente e diferentes problemas nessa nova situação.

 

Biografia
Arash Chakeri é escritor, poeta, cantor e compositor iraniano. Em 2003, Chakeri publicou sua primeira coleção de ghazals, Solidão, sem uma licença do Ministério da Cultura e Orientação Islâmica. Três anos mais tarde, uma segunda antologia de poesia, Guitar Tears (2006), enfrentou censura do Ministério, o que o obrigou a apagar alguns de seus poemas com sub-reptício teor de ativismo político e social.  Embora suas canções tivessem sido bem recebidas e bastante reproduzidas, Chakeri continuou enfrentando o assédio das forças de segurança e autoridades islâmicas. Em novembro de 2013, foi arbitrariamente detido e interrogado sobre sua crítica pública ao Estado, na recente publicação de seu romance. Diziam-lhe que ele estava morto, que agora estava proibido de publicação no Irã. De particular preocupação tem sido a recepção de sua mais recente música, “Made in China”, sobre a qual ele relata ter havido assédio, devido a seu conteúdo crítico em relação ao governo iraniano.  Em 2015, Arash Chakeri decidiu deixar seu país e é escritor convidado pela cidade-refúgio de Bruxelas, no período de 2016-2017.

 

14/03/2017

Download the original version of this interview here

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s